Ciranda de Pedra - Lygia Fagundes Telles



Lygia Fagundes Telles nasceu em São Paulo na década de 20. Formou-se em Educação Física e Direito. Desde criança, ela gostava muito de escrever. Publicou diversos livros, que foram traduzidos para inúmeras línguas. Contou com a amizade e colaboração de outros grandes escritores da nossa literatura, como Carlos Drummond de Andrade e Érico Veríssimo. Em 1982, tornou-se imortal da Academia Brasileira de Letras.  Em 2005, ganhou o Prêmio Camões, consagração máxima para um autor da Língua Portuguesa. Neste ano, Lygia foi indicada ao Prêmio Nobel de Literatura. 

Por esse motivo, e também por Lygia pertencer ao grupo de autoras do Desafio Mulheres da Academia Brasileira de Letras, li seu romance chamado Ciranda de Pedra. Foi uma grande surpresa para mim. O livro é excelente!  Ele já começa com uma citação de Elegias de Duíno de Rilke. Início bom e final extraordinário.

Ciranda de Pedra é o primeiro romance de Lygia, anteriormente uma contista consagrada. Apesar de escrito na década de 50, o romance dispõe de uma linguagem clara e moderna. Os personagens e cenários são leves, mas, ao mesmo tempo, a autora insere sutilezas, essenciais para o entendimento mais profundo da trama.




Compartilho algumas citações marcantes da obra:

A pior coisa que podia acontecer era mostrar-se cruel com as pessoas. E as pessoas morrerem e não se ter tempo para fazer mais nada por elas.

****

Vírginia apertou o ramo de rosas contra o peito. “Inútil é o amor que tenho por você”, quis dizer-lhe. Não disse.

****

Então você ainda gosta dele? Terá que esquecer, Virgínia. Amar a pessoa errada não é das melhores coisas que podem nos acontecer e acontecem com tanta frequência. Dante se esqueceu desse círculo no seu inferno, o dos rejeitados.


Para saber mais sobre outros romances do Desafio Mulheres da ABL:

O Quinze - Rachel de Queiroz

 O Baile de Máscaras - Rosiska Darcy de Oliveira

Tropical Sol da Liberdade - Ana Maria Machado

Anarquistas, graças a Deus – Zélia Gattai.

Boas leituras! Bom fim de semana!

Comentários

POSTS MAIS LIDOS

Psicologia Feminina: A Necessidade Neurótica de Amor

Éramos Seis, Irene Ravache, Moçambique e Angola

O Caminho dos Justos – Moshe Chaim Luzzatto

Daniela e os Invasores - Dinah Silveira de Queiroz

A Personalidade Neurótica de Nosso Tempo - Karen Horney

"Sei que muitas vezes eu mesmo fui um obstáculo no meu caminho, mas isso acabou"

Como acabei perdendo meu coração - Doris Lessing (Nobel de Literatura em 2007)

Brasilionários: os Poderosos Chefões do Brasil Moderno

Diamante banhado em sangue, a história do Estrela do Sul