Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2016

"Sei que muitas vezes eu mesmo fui um obstáculo no meu caminho, mas isso acabou"

Imagem
Feira do Livro de Frankfurt
O mês de outubro é muito importante para a Literatura Mundial. Além do Nobel de Literatura, em outubro, também ocorre a Feira do Livro de Frankfurt na Alemanha. Essa é a maior e mais antiga feira editorial do mundo.
A Feira do Livro de Frankfurt ocorre há cerca de 500 anos. Isso mesmo, ela ocorre desde que Gutenberg (que também era alemão) inventou a impressão de tipos móveis. Essa tecnologia permitiu a impressão de livros em larga escala.
Além disso, a Feira de Frankfurt homenageia a literatura de um país a cada edição. Em dois 2016, foram homenageados escritores dos Países Baixos e de Flandres (uma região da Bélgica culturalmente ligada à Holanda). O Brasil e sua literatura foram homenageados em 2013.
Simultaneamente à Feira, também ocorre o Prêmio do Livro Alemão (Deutscher Buchpreis), a premiação máxima da literatura alemã. Este ano, o vencedor foi o escritor Bodo Kirchhoff pelo romance WiderFahrnis. A obra narra um romance de dois personagens com mais de…

Conversas com um Jovem Professor - Leandro Karnal

Imagem
Conversas com um Jovem Professoré um livro do professor Leadro Karnal. Ao longo dos seus 30 anos de carreira, Karnal afirma já ter dado aulas em todas as condições para todos os públicos. A única experiência que lhe faltou (e que ele admira muito) foi a da alfabetização e letramento. Por causa disso, o autor convidou sua irmã, que é pedagoga e também professora há mais de 30 anos, para escrever um capítulo relatando sua experiência e tratando sobre o tema disciplina.
Karnal acredita que sua experiência de três décadas é o tempo exato para escrever um livro assim. Pois, não é nem muito jovem para ser tratado como inexperiente e, tão pouco, muito velho para estar rancoroso com os obstáculos enfrentados na sua profissão. O livro está todo em primeira pessoa. Nada é embasado em teorias pedagógicas. Tudo é ditado conforme experiência e visão pessoal.
O autor explana sobre o que fazer nas linhas de frente de uma aula. Segundo ele essas linhas são: você, o conteúdo, as condições externas e o a…

Entre escritores e músicos...

Imagem
Afinal, saiu o Prêmio Nobel de Literatura e ele foi, pela primeira vez, para um músico, Bob Dylan, pela poesia de suas letras. 
No Brasil, o músico Martinho da Vila concorreu para Academia Brasileira de Letras (ABL) em 2010. Ao contrário do compositor norte-americano, Martinho já escreveu doze livros: dois sobre literatura musical, três infantis, seis romances e uma autobiografia. Na época, o escritor brasileiro perdeu a cadeira na ABL para Paulo Coelho.
Algumas pessoas questionaram o fato de Martinho ser originariamente compositor e não escrito. Segundo elas, isso o deixaria inapto para  à ABL. Depois que Bob Dylan ganhou o Nobel, talvez, os caminhos fiquem mais livres para esse tipo de artista que não se limita a uma só arte.
Outra artista que possibilitou essa transição da poesia para a música foi a poetisa paulista Hilda Hilts. Nos últimos anos de sua vida, o compositor Zeca Baleiro musicou os poemas De Ariana para Dionísio. Além disso, Zeca convidou cantoras brasileiras para gravar…

Retrato do artista quando coisa - Manoel de Barros

Imagem
A maior riqueza do homem é sua incompletude. Nesse ponto sou abastado. Palavras que me aceitam como sou — eu não aceito.

Não aguento ser apenas um sujeito que abre portas, que puxa válvulas, que olha o relógio, que compra pão às 6 da tarde, que vai lá fora, que aponta lápis, que vê a uva etc. etc. Perdoai. Mas eu preciso ser Outros. Eu penso renovar o homem usando borboletas.” (Texto retirado da seleção de melhores poemas da Revista Bula)
Manoel Wenceslau Leite Barros, se fosse vivo, completaria 100 anos em 2016. Ele nasceu em Cuiabá, Mato Grosso, e faleceu em Campo Grande, Mato Grosso do Sul, em 2014, aos 87 anos.
Manoel de Barros é um dos maiores nomes da poesia brasileira. O poeta Carlos Drummondde Andrade recusou o título de “maior poeta vivo do Brasil”, porque, segundo Carlos, quem merecia receber esse título era Manoel de Barros.