Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2016

Casos de Família: Vida e Obra de Ibsen

Imagem
Ler obras peças de teatro é diferente de romances. A leitura do teatro pode aparentemente ser mais rápida, mas ela exige mais imaginação. Cada leitor cria o seu próprio palco com seus próprios atores. E, se acontece de assistir uma das obras que já leu, a diferença é muito maior nas adaptações para o teatro do que nas adaptações para o cinema.  
Já assisti Um Inimigo do Povo, depois de ler a peça do dramaturgo norueguês Henrik Ibsen. É foi uma das experiências mais frustrantes da mina vida.
Ibsen é considerado o pai do teatro modernista. Naquela época, o teatro deveria pregar as regras sociais vigentes, enfatizando os bons costumes e o valor do trabalho. Ibsen foi o primeiro a tentar representar as relações como elas realmente eram (cheias de tensões) e não como elas deveriam ser.
Em Um Inimigo do Povo, o protagonista, Dr. Stockmann, é irmão do prefeito de uma pequena aldeia que está prestes a inaugurar um balneário. Todos estão com grandes expectativas sobre o incentivo à economia que o…

A Distância Entre Nós - Thrity Umrigar

Imagem
A Distância entre Nós é o livro mais famoso da escritora indiana Thrity Umrigar.

Aos 21 anos, Thrity emigrou para os Estados Unidos. Segundo ela, por causa da sua formação ocidental colonial e pelo desejo de aventura. Lá ela estudou e hoje leciona escrita criativa numa universidade.
A Distância entre Nós é um livro tocante. Ele trata da vida de duas mulheres, a patroa Serabai e a empregada analfabeta Bhima. Serabai é parse, ou seja, uma minoria da elite praticante do Zoroastrismo. E Bhima vive numa favela e pertence a uma casta baixa hindu. Vários preconceitos impedem um relacionamento mais profundo entre as duas, embora Serabai seja considerada uma boa patroa. Apesar da distância social entre elas, as duas mulheres enfrentam dores, frustrações e sofrimentos muito parecidos.
Seguem algumas passagens:
“Tem coisas que alguns homens fazem com suas mulheres e que você não desejaria para o seu pior inimigo.”
“Afinal, fazer amor tem sempre outras implicações – as necessidades do outro precisam…

Os Melhores Livros de Antoine Saint-Exupéry

Imagem
Antoine de Saint-Exupéry, autor do livro O Pequeno Príncipe, também escreveu livros adultos, baseados em sua carreira de aviador.
Nunca gostei d’O Pequeno Príncipe, mas gostava muito dos livros de aviação. Saint-Exupéry fazia a linha entre a França e o Marrocos. Durante 18 meses, ele foi chefe da base de Tarfaya (Marrocos), onde além de escrever o livro Correio Sul, também negociava o resgate de pilotos sequestrados pelos mouros. Estes lhe deram o apelido de Senhor das Areias. Outro livro dele com o mesmo tema é O Vôo Noturno, escrito um ano mais tarde (1931).  Ambos marcaram minha adolescência cheia de sonhos.
Saint-Exupéry, aos 43 anos, era o piloto mais velho da sua divisão e sofria de muitas dores devido aos diversos acidentes aeronáuticos. Em 1944, final da Segunda Guerra, seu avião desapareceu. Um avião e um corpo não identificados foram encontrados próximos da rota que ele fazia. Assume-se que era ele. Não se sabe se foi abatido ou se suicidou (fato muito comum entre pilotos da …

Círculo para Troca de Livros

Imagem

Conheça a obra de Marc Dugain

Imagem
Marc Dugain é um escritor francês moderno, nascido no Senegal. Dois de seus livros são traduzidos para o português:
·A Maldição de Edgar, que conta a vida de John Edgar Hoover, chefe do FBI por décadas, que era homossexual;
·Uma Execução Comum, também baseada num fato real, um submarino russo que ficou preso no fundo do mar.

A obra prima de Marc Dugain é La Chambre des Officiers(O Quarto dos Oficiais), que virou um filme, mas ainda aguarda tradução para o português.
O mercado editorial tem razões que a própria razão desconhece... Não dá para entender porque não traduzir a obra mais famosa de um escritor e traduzir as outras.



O Quarto dos Oficiaisé um livro em homenagem ao avô de Marc Dugain, um veterano mutilado da Primeira Guerra Mundial. Ele narra a história de um jovem oficial engenheiro, que deixa seu amor para ir à guerra. No primeiro dia no campo de batalha, ele pisa numa mina, que não lhe mata, mas lhe arranca a face.
Para não assustar a população e os jovens soldados, o governo tran…

Os Miseráveis - Victor Hugo

Imagem
Os Miseráveis, provavelmente a obra mais famosa de Victor Hugo, já foi transformada em musical da Broadway e em filme (2012). Enquanto o lia, muitas pessoas pararam para dizer que amavam esse livro e foi um bom motivo par conversar e fazer novas amizades.
Até aí, ótimo... O único problema é que eu detestei o livro e a estória. De toda minha alma. Por isso, vou começar pelos lados positivos e pelas características que podem ser a causa do sucesso extraordinário do livro.
O livro é rico em descrições históricas de fatos relevantes da História da França. Descrições excelentes. Entre as melhores está a  da Batalha deWaterloo e a revolta em Paris. Além disso, é possível entender como eram as relações sociais na França do século XIX. Por exemplo, o protagonista pede autorização ao avô para se casar, o velho querendo insultar manda que ele tome a moça como amante. Isso remonta um livro erótico francês, Teresa, filósofa, que trataremos nos próximos posts.
Tive uns momentos de nostalgia de Paris …

Os Reis Malditos - Maurice Druon

Imagem
Os Reis Malditosé uma coleção de sete romances históricos que contam uma transição de dinastia da monarquia francesa. Maurice Druon levou 22 anos para terminar de escrevê-la e contou com a colaboração de diversos historiadores. Ela é altamente fiel ao que se sabe da História.
Essa coleção já foi adaptada para minisséries pela TV francesa. Segundo George R. R. Martin, autor de Guerra dos Tronos, a coleção Os Reis Malditos serviu de inspiração para sua obra, pois trata da “verdadeira guerra dos tronos ”.

O primeiro livro da série, O Rei de Ferro, trata da vida de Felipe I, o Belo. Seu fato mais conhecido foi ter desarticulado a Ordem dos Cavaleiros Templários, destruído seu Templo em Paris e queimado vivo o líder octogenário Jacques de Molay. Na fogueira, de Molay amaldiçoa Felipe, o Belo, dizendo-lhe que ele viveria menos de um ano e que nenhum descendente seu iria governar a França.
Daí um dos sentidos do título da coleção... Os Reis Malditos, porque foram amaldiçoados por de Molay. Os p…

História dos Portugueses no Malabar – Zinadím

Imagem
Malabar é uma região da Índia (aquela costa voltada para África). Este livro foi escrito no século XVI por um muçulmano. Nada se sabe sobre o autor. Exceto que ele era muçulmano e chegaram três manuscritos de sua obra, um pouco divergentes entre si, até os nossos dias.
 Naquela época, já viviam na Índia hindus, muçulmanos, cristãos e judeus num equilíbrio bem instável.  Ou seja, a Índia estava numa situação, por si só, delicada, quando os portugueses chegam e tentam dominar algumas cidades (de fato, dominam comercialmente e impõem a fé católica). Ambos os lados (muçulmanos e portugueses) cometeram atrocidades.
 Do ponto de vista histórico, é um livro muito bom. Ele tem uma longa introdução que faz entender muito da História de Portugal e das Grandes Navegações. Por exemplo, Cabral e sua frota aparecem no livro de Zinadím. Por quê? Porque Cabral descobriu o Brasil, mas o que ele fez depois? Voltou pra Portugal pra dar a notícia? Nããão. Ele foi fazer algo muito mais importante. Ele nave…

Como ser feliz lendo?

Imagem
Temos muito mais do que nossos antepassados tiveram, em termos de bens materiais, conforto, acesso informação e liberdade. Nenhum rei da Antiguidade teve acesso a tudo que nós temos hoje. Apesar disso, somos mais felizes?
Aparentemente, não. Somos até mais infelizes. O suicídio entre homens jovens parece ser a maior causa de morte nos Estados Unidos. Maior que acidentes de carro e doenças cardíacas, somados juntos.
Mas, afinal, por que somos tão infelizes? A minha crença pessoal é porque infelicidade vende. Pessoas infelizes compram muito mais para tentar suprir seu sentimento de falta.  Pessoas infelizes têm muito mais tempo para gastar, uma vez que não se ocupam com atividades que realmente lhes trazem satisfação, elas podem se ocupar consumindo produtos.
Tentando fugir um pouco dos glichês livros de autoajuda, comento alguns livros que trazem respostas sobre como sair, sem fórmulas mágicas, de uma cultura da infelicidade para uma vida mais plena.
Muitas pessoas já devem conhecer o livr…

12 Livros para 2016

Imagem
A meta para 2016 é ler, pelo menos, 30 livros em 2016. E também fazer, pelo menos, cinco releituras.


Entre esses, doze livros prioritários:
1.Os Miseráveisde Victor Hugo. Esse livro é um clássico da Literatura Francesa e já virou um musical da Broadway. Como eu não conheço nada deste autor, chegou a hora de conhecê-lo.
2.Demian de Herman Hesse. Este é um clássico da Literatura Alemã. Ele é mencionado várias vezes pelo livro Seus Pontos Fracos. Fiquei curiosa, comprei-o a anos e ainda não li. Chegou a hora.

3.Hamletde Shakespeare. Do autor inglês de Romeu e Julieta, só li Rei Lear. Gostei. Mas não me apaixonei. Como Hamlet é muito citado, vou lê-lo. Quem sabe, eu me apaixono desta vez.
4.Quarto 19de Doris Lessing. Escritora inglesa laureada com Prêmio Nobel. Vou ler para conhecê-la.

5.A Boa Terrade Pearl Buck. Escritora norte-americana também laureada com o Nobel. Ela tem uma vida inusitada, pois, apesar de ser norte-americana, viveu quase toda vida na China, lia e falava chinês fluenteme…