Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2015

Exercícios - Hilda Hilts

Imagem
Exercícios é uma coleção de poemas de diversas fases da grande poetisa Hilda Hilst. O livro reúne tanto textos iniciais quanto obras-primas da maturidade da autora. Foi um prazer lê-lo e folheá-lo todas as noites deste ano.
Segue um poema da coletânea Sete Cantos do Poeta para o Anjo (1962):
CANTO QUINTO
Eu nem soube falar do amor nos homens. (Amor feito de júbilo aparente) Nem soube replantar no que era terra Uma mesma semente. Tive no peito o mantra mais secreto E não pude vibrá-lo, alento, lira Corda divina no seu veio certo.
Elaborei em vão todos os meus sonhos. E súbito me tornas e me ordenas A solidão mais funda: Estes cantos agora, alguns poemas Um amor tão perfeito e indizível Porque não é tumulto nem tormento. (E se o homem na carne foi punido O verbo diz melhor do sofrimento).
Que nome te darei se em mim te fazes? Se o teu batismo é o meu e eu só te soube Quando soube de mim?

Até nosso próximo encontro!


Eichmann em Jerusalém - Um Relato sobre a Banalidade do Mal

Imagem
Adolf Eichmannera um cidadão medíocre, sem muitas chances de crescimento na carreira de vendedor de óleo industrial. Até que um amigo o convidou para se filiar ao Partido Nazista um pouco antes do início da Segunda Guerra. Por indicação, Eichmann começou a trabalhar em funções burocráticas. Ele tinha alguns parentes judeus e leu dois ou três livros sobre o judaísmo e sua história. Isso foi o suficiente para o que ele fosse nomeado “especialista” no assunto.

No começo da guerra, todas as ideias sobre os judeus diziam respeito à expulsão ou à deportação para algum lugar do mundo (até a ilha da Madagascar foi considerada como uma opção). Eichmann e o departamento que chefiava ficaram responsáveis por esses deslocamentos em massa, na maioria das vezes, para campos de concentração para trabalhos forçados. Num momento posterior, chegou a ordem da “Solução Final”, ou seja, que todos aqueles seres humanos fossem levados para execução. Eichmann continuou fazendo o seu trabalho da mesma forma. E…

Hannah Arendt, a mulher da minha vida!

Imagem
Hannah Arendt foi uma famosa filósofa alemã de origem judaica, que após as perseguições na Europa (durante Segunda Guerra Mundial) se refugiou permanentemente nos EUA. Ela lecionava na Universidade de Chicago e teve a oportunidade de cobrir o julgamento de Eichmann (um oficial nazista) a pedido do jornal The New Yorker. As conclusões desse experiência levaram Arendt a escrever seu livro mais famoso e mais controverso Eichmann em Jerusalém.  Acabo de lê-lo e garanto que ele mudou minha visão de mundo. 
Entre outros fatos curiosos, Hannah Arendt é a única escritora que já recebeu uma homenagem que podia ser vista do espaço. Um fã da filósofa escreveu num deserto norte-americano com letras quilométricas READ HANNAH ARENDT! (Leia Hannah Arendt!). Na época, o satélite do Google fotografou  e a homenagem podia ser vista por meio do  aplicativo Google Earth. Consigo entender porque esse fã fez isso. Todo mundo deveria ler mesmo Hannah Arendt!

Em 2012, foi lançado o filme Hannah Arendt. O filme…

Amanhã, dê um livro de presente!

Imagem
Amanhã é 12 de outubro, Dia das Crianças no Brasil. Pensando na importância de se incentivar a leitura desde cedo, tentei relembrar como comecei a ler e quem mais me incentivou.
 Morávamos num sítio até meus 12 anos de idade. Nós tínhamos uma vizinha extraordinária, dona Helena. Ela era uma senhora negra de uns 60 anos, que só teve a oportunidade de ser alfabetizada e nunca frequentou a escola. Dona Helena lia muito, ela amava Machado de Assis. Ela foi a primeira pessoa a me contar que Machado era negro, numa época em que eu não tinha a menor ideia do que a palavra racismo significava.
 Dona Helena me deu o livro favorito de sua infância: O Burrinho que Queria ser Gentedo escritor brasileiro Herberto Sales, imortal da Academia Brasileira de Letras. Este livro foi o primeiro livro que li sozinha, sem ninguém me ajudar ou ler para mim. Ele me marcou muito. Até hoje me lembro da estória e do amor de dona Helena (que já partiu para o outro mundo) com saudades. Onde quer que sua alma estej…

No Coração da Vida - Tenzin Palmo

Imagem
Há cerca de um ano, num momento de transição na minha vida, uma amiga me emprestou o livro No Coração da Vidada monja Tenzin Palmo. Mesmo eu não sendo budista, este livro me ajudou muito. Recomendo-o a todos que precisem alcançar um pouco mais de felicidade genuína em suas vidas.
 Tenzin Palmo esteve no Brasil ano passado. E esta é uma entrevista dela (com legendas em português), sumarizando os ensinamentos do seu livro. Assisto com alguma frequência e ela sempre me ajuda. 
  É um imenso prazer compartilhar essa leitura e esta dica de vídeo com vocês. Desejo, do fundo da minha alma, que elas ajudem vocês, tanto quanto têm me ajudado.
  Excelente fim de semana a todos!

Marechal Richard Byrd: Sozinho na Antártida de Paul Rink

Imagem
Marechal Richard Byrd: Sozinho na Antártida de Paul Rink é uma biografia (apenas disponível em inglês, por enquanto). Que um amigo me emprestou (veja o nosso Book Haul de junho).

O livro narra a história do almirante Richard Byrd, durante suas expedições na Antártida. Ele nasceu nos EUA, na pequena cidade de Winchester, no Estado da Virgínia. Aos 13 anos, ingressou na Marinha Mercante. Na sua despedida da família, ele olha para o pai e diz: Pai, se você me proibir de ir, eu te obedecerei. Mas nunca vou te perdoar. Quem poderia impedir um garoto desses?
 Richard Byrd conheceu quase todos os lugares do mundo, antes de encontrar sua paixão: o Pólo Sul. Ele liderou duas expedições científicas para lá. Na segunda, eles usaram a base construída anteriormente, a Little America. E foi necessário fazer uma coleta de dados metereológicos numa base mais remota, a Advanced Base. Richard Byrd acaba decidindo ir sozinho para essa base e trabalhar sozinho lá durante toda a noite polar, que dura mais o…

O Mito do Desenvolvimento Econômico - Celso Furtado (Parte II)

Imagem
O Mito do Desenvolvimento Econômico é uma coleção de quatro palestras do Celso Furtado, que foram apresentadas em universidades do exterior. Em todas elas, o autor explica as origens da concentração de renda nos países subdesenvolvidos. E, pelo que eu entendi, a visão do autor é que isso nunca vai mudar e que é melhor deixar assim.  Embora ele tenha argumentos fortes, confesso que me deixou um pouco decepcionada. Seguem alguns trechos conclusivos:
“Temos assim a prova definitiva de que o desenvolvimento econômico – a ideia deque os povos pobres podem algum dia desfrutar das formas de vida dos atuais povos ricos – é simplesmente irrealizável.”
“Sabemos agora, de forma irrefutável, que as economias da periferia nunca serão desenvolvidas, no sentido de similares às economias que formam o atual centro do sistema capitalista.”

“Mas, como negar que essa ideia (o mito do desenvolvimento) tem sido de grande utilidade para mobilizar os povos da periferia e levá-los a aceitar enormes sacrifícios, …

O Mito do Desenvolvimento Econômico - Celso Furtado (Parte I)

Imagem
O Mito do Desenvolvimento Econômico” é um livro escrito pelo famoso economista brasileiro Celso Furtado, em 1981. Furtado, entre muitas outras realizações, foi a primeira pessoa a ocupar a pasta de Ministro do Planejamento no nosso País e sua obra mais famosa é “Formação Econômica do Brasil”.
Li “Formação Econômica do Brasil” quando tinha uns 15 anos. A mãe da minha melhor amiga era cabeleireira e tinha um monte de livros no salão, a maioria autoajuda. Minha amiga e eu lemos todos. Até que o último era esse de economia. Eu levei para casa e comecei a lê-lo. Foi o primeiro livro técnico e o primeiro livro com mais de 300 páginas que li na vida.  Foi muito difícil, mas achei o tema muito interessante.  
O autor teve acesso a um gigantesco banco de dados sobre muitos aspectos da nossa economia para escrever esse livro histórico. Por exemplo, uma informação, que eu nunca esqueci, foi que a expectativa de vida de um escravo norte-americano era três vezes maior que a de um escravo brasileiro…