Marechal Richard Byrd: Sozinho na Antártida de Paul Rink

 Marechal Richard Byrd: Sozinho na Antártida de Paul Rink é uma biografia (apenas disponível em inglês, por enquanto). Que um amigo me emprestou (veja o nosso Book Haul de junho).


O livro narra a história do almirante Richard Byrd, durante suas expedições na Antártida. Ele nasceu nos EUA, na pequena cidade de Winchester, no Estado da Virgínia. Aos 13 anos, ingressou na Marinha Mercante. Na sua despedida da família, ele olha para o pai e diz: Pai, se você me proibir de ir, eu te obedecerei. Mas nunca vou te perdoar. Quem poderia impedir um garoto desses?

 Richard Byrd conheceu quase todos os lugares do mundo, antes de encontrar sua paixão: o Pólo Sul. Ele liderou duas expedições científicas para lá. Na segunda, eles usaram a base construída anteriormente, a Little America. E foi necessário fazer uma coleta de dados metereológicos numa base mais remota, a Advanced Base. Richard Byrd acaba decidindo ir sozinho para essa base e trabalhar sozinho lá durante toda a noite polar, que dura mais ou menos 6 meses. 

 Além de enfrentar a solidão, aconteceu um vazamento de monóxido de carbono no sistema de aquecimento. Se ele desligasse o aquecimento, a temperatura lá fora era de menos 80 graus. Isso significaria morte certa. Mantendo o aquecimento ligado, monóxido de carbono é um gás letal e ele vai, pouco a pouco, sendo envenenado. 

 O livro destaca duas características fortes de Richard Byrd, sua obsessão pela segurança; sua obsessão pela disciplina, ou seja, a construção de hábitos forte. Conforme demonstrado no livro O Poder do Hábito, um hábito enraizado utiliza partes primitivas do nosso cérebro, quase as mesmas das funções vitais. Em outras palavras, a coisa vai no automático. Como Byrd seguia uma rotina rígida, ou seja, tinha hábitos fortes, mesmo estando envenenado (completamente grogue), ele conseguiu realizar tudo que foi planejado, mesmo nos momentos mais desesperadores.

 Para quem se interessa por expedições para Antártida no começo do século XX, recomendo também o livro do Schackleton, um verdadeiro tratado sobre liderança e uma aventura extraordinária.

 Muito obrigada por todos que acompanham nosso blog

 Até nosso próximo encontro!



Comentários

Postar um comentário

POSTS MAIS LIDOS

Psicologia Feminina: A Necessidade Neurótica de Amor

A Personalidade Neurótica de Nosso Tempo - Karen Horney

Éramos Seis, Irene Ravache, Moçambique e Angola

O Caminho dos Justos – Moshe Chaim Luzzatto

A SIMETRIA OCULTA DO AMOR - BERT HELLINGER

Daniela e os Invasores - Dinah Silveira de Queiroz

"Sei que muitas vezes eu mesmo fui um obstáculo no meu caminho, mas isso acabou"

Diamante banhado em sangue, a história do Estrela do Sul

Como acabei perdendo meu coração - Doris Lessing (Nobel de Literatura em 2007)