Conversas com um Jovem Professor - Leandro Karnal


Conversas com um Jovem Professor é um livro do professor Leadro Karnal. Ao longo dos seus 30 anos de carreira, Karnal afirma já ter dado aulas em todas as condições para todos os públicos. A única experiência que lhe faltou (e que ele admira muito) foi a da alfabetização e letramento. Por causa disso, o autor convidou sua irmã, que é pedagoga e também professora há mais de 30 anos, para escrever um capítulo relatando sua experiência e tratando sobre o tema disciplina.

Karnal acredita que sua experiência de três décadas é o tempo exato para escrever um livro assim. Pois, não é nem muito jovem para ser tratado como inexperiente e, tão pouco, muito velho para estar rancoroso com os obstáculos enfrentados na sua profissão. O livro está todo em primeira pessoa. Nada é embasado em teorias pedagógicas. Tudo é ditado conforme experiência e visão pessoal.

O autor explana sobre o que fazer nas linhas de frente de uma aula. Segundo ele essas linhas são: você, o conteúdo, as condições externas e o aluno. Também trata sobre como lidar com as frustrações profissionais. Aquela sensação de “Eu fiz tudo, mas...”.

Depois ele trata dos erros mais comuns de sua profissão, sendo honesto o suficiente para relatar os seus próprios erros. Disserta sobre a tão cobrada criatividade em sala de aula.

“Aqui nasce um equívoco comum no Brasil, em particular. É opor criatividade ao método ou conhecimento formal. Picasso copiou Velázquez no Museu do Prado antes de ser Picasso, e também depois. Aprendeu com os grandes mestres. Dominou técnicas clássicas, como a pintura a óleo e o desenho. Para criar seu universo original, Monteiro Lobato estudou, de forma muito tradicional, a etimologia e o latim. Passou horas sentado decorando coisas e, seguindo caminhos bem tradicionais, pôde então subverter.”

Nota do blog: Esse também foi o caso do poeta Manoel de Barros, famoso por seu trabalho em escritório durante horas para compor um poema.

“No Brasil é comum a confusão. Alguns acham que ser criativo é estar aberto a uma inspiração que desceria dos céus e, para a qual, devemos ficar em repouso absoluto, aguardando. Cumprir horários, ler com afinco, anotar, estabelecer metas e avaliar seriam obstáculos à criatividade. Fuja de quem acredita nisso. São apenas vagabundos.”

**************************

“Ser criativo implica colocar maior energia, pois vai além da repetição dada pelos outros, não aquém. Ser criativo é ultrapassar, não reduzir.”

Para quem quer saber mais sobre criatividade, recomenda-se o livro: Tive uma ideia! O que é criatividade e como desenvolvê-la.

Karnal também explana sobre o papel da tecnologia em sala de aula e sobre o papel dos pais, colegas, coordenadores e diretores na educação. Muitas vezes ajudam, mas, em certos casos, também atrapalham.

O autor fala sobre como planejar uma boa aula e como elaborar provas. Para encerrar, ele explana sobre as razões para ser professor. Sinceramente, achei o final meio utópico. Mas é um livro que, mesmo assim, merece ser lido pelo relato de experiência e a análise crítica da realidade. Karnal tem discernimento. Não é um livro que “fantasia” as relações e as dificuldades do professor.

Segue uma palestra de 3 minutos do autor sobre Jesus como professor.


Boa semana a todos (as)! 

Comentários

POSTS MAIS LIDOS

Psicologia Feminina: A Necessidade Neurótica de Amor

A Personalidade Neurótica de Nosso Tempo - Karen Horney

Éramos Seis, Irene Ravache, Moçambique e Angola

O Caminho dos Justos – Moshe Chaim Luzzatto

A SIMETRIA OCULTA DO AMOR - BERT HELLINGER

Daniela e os Invasores - Dinah Silveira de Queiroz

"Sei que muitas vezes eu mesmo fui um obstáculo no meu caminho, mas isso acabou"

Diamante banhado em sangue, a história do Estrela do Sul

Como acabei perdendo meu coração - Doris Lessing (Nobel de Literatura em 2007)