Rubayat de Omar Khayyam

Omar Khayyam  foi um matemático, astrônomo, filósofo e poeta muçulmano. Ele nasceu na cidade de Nishapur no Irã no ano de 1048 e faleceu, na mesma cidade, em 1131. Khayyam significa “o fazedor de tendas”. Omar adotou esse nome em homenagem ao pai, que exercia essa profissão. Omar Khayyam escreveu diversos livros sobre muitos temas científicos e literários. Ele viveu durante um período conturbado da fé islâmica, assim como agora, mas soube equilibrar suas crenças com discernimento e sabedoria.  Khayyam pode ser um exemplo para todos nós.

Seu livro mais conhecido em português é a coletânea poética Rubaiyat. O site Ebooks Brasil disponibiliza gratuitamente um exemplar desse livro para download (se você estiver interessado(a), clique aqui). Rubaiyat é o plural de rubai, em português, quartetos. O livro é uma coleção de quartetos com mensagens profundas para toda vida. Lembra muito os poemas haiku japoneses.

Seguem alguns poemas do Rubaiyat:


1
Nunca murmurei uma prece,
nem escondi os meus pecados.
Ignoro se existe uma Justiça, ou Misericórdia;
mas não desespero: sou um homem sincero.




4
Que o teu saber não humilhe o teu próximo.
Cuidado, não deixes que a ira te domine.
Se esperas a paz, sorri ao destino que te fere;
não firas ninguém.




5
Busca a felicidade agora, não sabes de amanhã.
Apanha um grande copo cheio de vinho,
senta-te ao luar, e pensa:
Talvez amanhã a lua me procure em vão.




6
Não procures muitos amigos, nem busques prolongar
a simpatia que alguém te inspirou;
antes de apertares a mão que te estendem,
considera se um dia ela não se erguerá contra ti.




9
Que pobre o coração que não sabe amar
e não conhece o delírio da paixão.
Se não amas, que sol pode te aquecer,
ou que lua te consolar?




Algumas curiosidades sobre Omar Khayyam e suas obras:


·                   A tradução mais famosa de Rubaiyat foi feita pelo poeta inglês Edward FitzGerald.  Atualmente essa tradução é duramente criticada;


·                   Segundo o escritor brasileiro Malba Tahan, que foi um apaixonado pelas culturas árabe e muçulmana, entre vários fatos extraordinários de sua vida, acredita-se que o Omar Khayyam previu sua própria morte (com detalhes, como data e circunstâncias) um ano antes;



·                   Khayyam nos deixou muitos legados. Entre homenagens que ele recebeu, uma delas foi o batismo de uma das crateras da lua com seu nome e, em 1970, a astrônoma soviética Lyudmila Zhuravlyova batizou um planeta menor em homenagem ao poeta persa, 3095 Omar Khayyam.  A vida da astrônoma Lyudmila Zhuravlyova é tão fascinante quanto a de Omar Khayyam.



Boa semana a todos! Boas leituras!

Comentários

POSTS MAIS LIDOS

Psicologia Feminina: A Necessidade Neurótica de Amor

A Personalidade Neurótica de Nosso Tempo - Karen Horney

Éramos Seis, Irene Ravache, Moçambique e Angola

O Caminho dos Justos – Moshe Chaim Luzzatto

A SIMETRIA OCULTA DO AMOR - BERT HELLINGER

Daniela e os Invasores - Dinah Silveira de Queiroz

"Sei que muitas vezes eu mesmo fui um obstáculo no meu caminho, mas isso acabou"

Diamante banhado em sangue, a história do Estrela do Sul

Como acabei perdendo meu coração - Doris Lessing (Nobel de Literatura em 2007)