MUDE-SE HOJE!

“Todo mundo sabe que nada permanece igual para sempre; porém, estranhamente, quando eventos alheios à nossa vontade ou outras pessoas nos obrigam a sair da nossa zona de conforto, ficamos medrosos e inseguros. Às vezes, ficamos com raiva e ressentidos. Mesmo quando as pessoas estão em uma situação ruim – um relacionamento violento, um emprego sem futuro ou um ambiente perigoso -, muitas vezes se recusam a tomar um novo rumo na vida porque preferem lidar com o conhecido a enfrentar o desconhecido.

Recentemente conheci George, fisioterapeuta e instrutor de musculação. Eu disse a ele que estava com dores nas costas e precisava de exercícios de alongamento, mas não estava conseguindo achar a motivação para malhar, já que vivia viajando e cuidando da minha empresa. George me deu uma resposta clássica:

- Ei, se você quer que a sua dor piore cada vez mais para o resto da sua vida, boa sorte.

Ele zombava de mim! Senti vontade de dar uma cabeçada nele, mas depois percebi que George estava me obrigando a lidar com o fato de que, se eu não estivesse disposto a reajustar meu estilo de vida, pagaria o preço.

Ele estava dizendo:

- Nick, você não tem de mudar se não quiser, mas a única pessoa que pode ajudar a melhorar a dor nas costas é você mesmo.

...

Para algumas pessoas, assumir a responsabilidade é muito mais assustador do que tentar algo novo. Quando a vida lhe dá uma carta ruim que arruína seu jogo e estraga seus planos, você pode culpar o universo, seus pais e a criança que roubou seu sanduíche quando você ainda estava na terceira série do ensino fundamental. Mas, no fim de contas, culpar os outros não ajuda em nada. Assumir a responsabilidade é a única maneira de controlar os desvios de rota e as transformações da sua vida. Minhas experiências me ensinaram que uma mudança positiva tem cinco fases necessárias.”


1. RECONHECENDO A NECESSIDADE DA MUDANÇA


“Infelizmente, somos lentos para reconhecer a necessidade de agir. Nos acomodamos com a rotina, mesmo que ela não seja tão confortável, e preferimos a inação em vez da ação simplesmente por preguiça ou medo. Muitas vezes é preciso acontecer algo realmente assustador para que reconheçamos a necessidade de um novo plano. Minha tentativa de suicídio foi um desses momentos. Eu persistia há anos, e se por fora usava uma máscara de coragem, por dentro eu estava atormentado por pensamentos obscuros de que, se não conseguisse mudar meu corpo, daria fim a minha vida. Quando cheguei ao ponto de quase me deixar afogar, reconheci que era hora de assumir a responsabilidade por minha própria felicidade.



2. IMAGINANDO ALGO NOVO
...
Se você tem dificuldade de se deslocar do lugar onde precisa ir, ter uma visão clara das implicações dessa mudança é algo que ajuda. Isso vale para quem está procurando uma nova casa, pensando em iniciar um relacionamento amoroso ou se arriscar em uma nova carreira profissional. Assim que você estiver familiarizado com o novo lugar, será mais fácil deixar o antigo.”

3. DEIXANDO O VELHO PARA TRÁS

Esta é uma etapa difícil para muita gente. Imagine que você está escalando um paredão de pedra nas montanhas. Você está na metade do caminho, a centenas de metros do vale. Acaba de chegar a uma pequena saliência. É assustador, e você sabe que está vulnerável em um caso de uma lufada de vento ou uma tempestade, mas pelo menos naquela reentrância você tem alguma segurança.

O problema é que, se continuar subindo, você terá de abandonar essa segurança e buscar um outro ponto de apoio. Soltar essa sensação de segurança, por mais tênue que ela seja, é o desafio, seja escalando uma montanha ou tomando um novo rumo na vida. Muita gente paralisa nessa etapa, ou até começa a fazer o movimento, só que com tanto medo que desiste. Quando você se encontrar nessa situação, pense que está subindo uma escada de mão. Para chegar ao próximo degrau, você deve soltar seu ponto de apoio, esticar o braço para agarrar o seguinte. Solte, estique o braço, e suba, um degrau de cada vez!”.

4. ATINGINDO A ESTABILIDADE

Esta também pode ser uma etapa traiçoeira para muita gente. As pessoas podem ter deixado o velho para trás e mudado para o novo, mas, enquanto não atingirem certo nível de conforto e segurança, podem sentir a tentação de voltar correndo para sua situação anterior. Esta é a etapa do tudo bem, estou aqui e agora? Você precisa tirar da cabeça pensamentos como “oh, meu Deus, o que eu fiz?” e se concentrar em “isto é uma grande aventura!”.

Nota do blog, este estado é semelhante ao estado mental dos filhos de Israel ao saírem da escravidão do Egito (uma grande mudança):

“E toda a congregação dos filhos de Israel murmurou contra Moisés e contra Arão no deserto. E os filhos de Israel dissera-lhes: Quem dera tivéssemos morrido por mão do Senho na terra do Egito, quando estávamos sentados junto às panelas de carne, quando comíamos pão até fartar! Porque nos tendes trazido a este deserto, para matardes de fome esta multidão.”(Êxodo 16:2-3).
...
5. CRESCENDO SEMPRE

“Esta é a melhor etapa de uma transição bem-sucedida. Você deu o salto de fé (às vezes um salto no escuro) e agora é o momento de crescer em seu novo ambiente ou situação. O fato é que ninguém consegue crescer de verdade sem mudar. Embora o processo possa ser estressante e doloroso emocional e fisicamente, o crescimento quase sempre vale a pena.

Já vi isso na minha própria empresa. Anos atrás, tive de reestruturar minha empresa, dispensar algumas pessoas. Sou horrível em dispensar pessoas. É algo que detesto. Sou um cara tipo “paizão”, não um sujeito que aprecia dar más notícias as pessoas de quem gosta. Ainda tenho pesadelos sobre pesadelos sobre despedir gente que acabei conhecendo e amando como amigos do peito. Mas, olhando para trás, minha empresa jamais teria tido a possibilidade de crescer se eu não tivesse feito essa mudança. Não posso dizer que fiquei feliz ao dispensar meus antigos funcionários, de quem sinto falta até hoje.

Sentir as “dores do crescimento” é sinal de que você está ampliando horizontes e chegando a novos patamares. Você não precisa gostar delas, mas saiba que sempre antecedem avanços, conquistas e guinadas que levam a dias melhores.”

Quando se sentir desmotivado (a), assista este vídeo incrível que conta um pouca vida de Nick (Duração: 13 minutos e 53 segundos, legenda em português). Também é possível acompanhar o trabalho motivacional de Nick pela internet.


Muito obrigada todos(as) vocês que acompanham e compartilham o nosso trabalho.
Boa Semana! Boas Leituras!

Comentários

POSTS MAIS LIDOS

Psicologia Feminina: A Necessidade Neurótica de Amor

A Personalidade Neurótica de Nosso Tempo - Karen Horney

Éramos Seis, Irene Ravache, Moçambique e Angola

O Caminho dos Justos – Moshe Chaim Luzzatto

A SIMETRIA OCULTA DO AMOR - BERT HELLINGER

Daniela e os Invasores - Dinah Silveira de Queiroz

"Sei que muitas vezes eu mesmo fui um obstáculo no meu caminho, mas isso acabou"

Diamante banhado em sangue, a história do Estrela do Sul

Como acabei perdendo meu coração - Doris Lessing (Nobel de Literatura em 2007)