Afinal, o que é Literatura Erótica?

O Sesc divulga uma revista gratuita e mensal. A de fevereiro de 2016 traz uma entrevista com a professora de Literatura da USP, Eliane Robert Moraes. A intelectual já escreveu diversos livros sobre erotismo na Literatura Brasileira, entre eles, O Corpo Impossível, Sade – Felicidade Libertina e Antologia da Poesia Erótica Brasileira.

Transcrevo abaixo, alguns trechos interessantes da entrevista:




Revista do Sesc: Como você delimita o que literatura erótica e o que não é?

Prof.ª Dr.ª Eliane: “Há textos que ficam em uma fronteira, mas, como a gente precisa de uma definição para trabalhar, normalmente a definição com a qual trabalho é a que estabelece que erótico é aquele texto que erotiza toda a experiência que está contando. Ou seja, não é o texto que tem uma cena erótica, mas sim aquele que acaba erotizando todas as cenas, ou quase todas, em que vê o mundo pelas lentes do erotismo. Lidar com erotismo é lidar com grandes mistérios da vida, do humano, da nossa constituição. Como todo mistério, dá medo. São essas grandes coisas que a gente não sabe definir, essas das quais a gente não escapa, e o erotismo é uma delas. Como tal, vai ser objeto de escárnio, de depreciação, mas vai ser também o objeto mais sublime de poesia, lirismo e exaltação. “


Revista do Sesc: Por que a nossa literatura [erótica] não ganha tanta repercussão?

Prof.ª Dr.ª Eliane:Até hoje, no Brasil, a ideia de literatura e de livro ainda é uma coisa da elite, seja que elite for. Colocar um poema que fale palavras de baixo calão em livro é algo que mexe com alguma coisa que ainda vem do século 19 no Brasil. A Hilda Hilst, em 1990, quando já era uma autora consagrada, lançou o Caderno Rosa de Lori Lamby, um livro pornográfico que altíssimo nível, e chocou as pessoas. Existe um melindre. Macunaíma, de Mário de Andrade, por exemplo, é um livro que tem sexo do começo ao fim, mas a maior parte das leituras desse livro se esquecem disso e o tratam apenas como um livro relacionado à identidade nacional. Estabelecer uma relação entre a identidade nacional brasileira e sexo incomoda a elite intelectual. É como se não se pudesse sujar as mãos com isso.”

Nota do Blog 500:
Sob esse prisma, o livro A Mulher que Escreveu a Bíblia (assim como muitos outros do Moacyr Scliar) também é um livro erótico.


Alguns exemplos de livros eróticos na Literatura Brasileira.

Até nosso próximo encontro com mais comentários sobre literatura erótica.


Boa semana a todos!

Comentários

POSTS MAIS LIDOS

Psicologia Feminina: A Necessidade Neurótica de Amor

A Personalidade Neurótica de Nosso Tempo - Karen Horney

Éramos Seis, Irene Ravache, Moçambique e Angola

O Caminho dos Justos – Moshe Chaim Luzzatto

A SIMETRIA OCULTA DO AMOR - BERT HELLINGER

Daniela e os Invasores - Dinah Silveira de Queiroz

"Sei que muitas vezes eu mesmo fui um obstáculo no meu caminho, mas isso acabou"

Diamante banhado em sangue, a história do Estrela do Sul

Como acabei perdendo meu coração - Doris Lessing (Nobel de Literatura em 2007)