Quando Coisas Ruins acontecem às Pessoas Boas - Harold S. Kushner

" Existem diversas maneiras de responder a alguém que pergunta: "Por que não obtive aquilo pelo que orei?" E a maioria das respostas é problemática, conduzindo a sentimentos de culpa, raiva e desesperança.

  • Você não foi atendido em sua oração porque não o merecia.
  • Você não foi atendido em sua oração porque não orou com toda a sinceridade.
  • Você não foi atendido em sua oração porque Deus sabe melhor que você o que lhe convém.
  • Você não foi atendido em sua oração porque as preces de alguma outra pessoa pedindo o contrário foram mais fortes.
  • Você não foi atendido porque toda oração é uma impostura; Deus não ouve orações.
  • Você não foi atendido em suas orações porque Deus não existe.
 Se não estamos satisfeitos com nenhuma dessas respostas, e não queremos renunciar à ideia da oração existe outra possibilidade. Podemos mudar nosso entendimento do que significa orar e do que significa serem nossas orações atendidas."

Alguns exemplos de orações inadequadas

" Podemos transpor essa lógica [lógica talmúdica] para situações contemporâneas. Seria igualmente inconveniente que um candidato a um curso universitário, depois de prestar os exames vestibulares, orasse: "Deus queira que eu tenha passado" ou que alguém, esperando o resultado de uma biopsia, orasse: "Deus queira que tudo esteja bem". Como nos episódios talmúdicos da mulher grávida e da casa em chamas, impõem-se certas condições. Não podemos pedir que Deus volte atrás e reescreva o passado." 

" Outra categoria de oração inconveniente é aquela que se destina a provocar danos a alguém."

" Finalmente, não podemos pedir a Deus em oração que faça algo que esteja dentro de nossas possibilidades, para nos evitar o incômodo de fazê-lo."

" Se não podemos orar a Deus pelo impossível ou pelo que não é natural, se não podemos orar no sentido de vingança ou irresponsabilidade, pedindo a Deus para levar a cabo o que compete a nós fazer, o que sobra para pedirmos em oração?"

Que pode a oração fazer por nós, para ajudar-nos quando nos sentimos magoados?

" A primeira coisa que a oração faz por nós é colocar-nos em contato com outras pessoas, pessoas que partilham do mesmos interesses, valores, sonhos e dores que nós."

" A oração quando feita de maneira correta, redime as pessoas do isolamento. Dá-lhes a certeza de que não precisam sentir-se sós e abandonadas. Leva-as ao conhecimento de que fazem parte de uma realidade maior, onde cabe mais sentido, esperança, coragem do que qualquer indivíduo poderia ter por si próprio."

"Contudo, esta é apenas a metade da resposta à nossa pergunta "para que serve a oração?"_ talvez a metade menos importante. Além de nos colocar em contato com outras pessoas, a oração nos coloca em contato com Deus. Não estou certo de que a oração nos coloque em contato com Deus do modo como muita gente imagina _ na postura de quem se dirige a Deus como um suplicante, como um mendigo pedindo favores, ou como um freguês apresentando-Lhe uma lista de compras e indagando quanto custa. O objetivo principal da oração não é pedir a Deus para mudar as coisas. Se chegarmos a entender o que a expectativas irrealistas, estaremos em melhores condições de recorrer à oração e a Deus, quando mais estivermos necessitados."

"Não podemos orar para que Ele torne nossas vidas livres de problemas; isso não acontecerá, e será o mesmo que não orar.
Não podemos pedir-Lhe que nos livre e àqueles a quem amamos da doença, porque Ele não pode fazer isso. Não podemos pedir-Lhe que estenda uma rede mágica ao nosso redor, de modo que coisas ruins só atinjam outras pessoas, nunca a nós. As pessoas que rezam por milagres, como as crianças que rezam por bicicletas, por boas notas ou por namorados não os conseguem através de suas orações.Mas aqueles que oram por coragem e determinação para suportar o insuportável, agradecendo pelo que lhes foi deixado frente ao que lhes foi tirado, estes muito frequentemente têm suas orações atendidas. Eles descobrem que têm mais força e mais coragem do que jamais pensam ter. Onde a conseguiram? Penso que suas orações ajudaram-nos a descobrir aquela força. Suas orações ajudaram-nos a trazer à tona aquelas reservas de fé e coragem que antes não lhes estavam disponíveis."


 Extratos retirados do capítulo 7 do livro Quando coisas ruins acontecem às pessoas boas de Harold S. Kushner. 

 O autor descobriu que seu filho de 2 anos , Aaron, tinha uma doença degenerativa rara que o faria viver no máximo até a adolescência (Aaron morreu aos 16 anos) e ele sofreria dores constantes. O livro nasceu dessa experiência. 

 Recomendo não só para quem passou ou passa por uma experiência assim. Mas também para quem deseja consolar um amigo que está passando por algo assim. Os consolos das pessoas são normalmente muito ruins. Esse livro ensina a aconselhar e realmente ajudar.

Para quem quer saber mais sobre o trabalho de Harold S. Kushner consulte o site Spirituality & Practice.

Comentários

  1. excelente explanação! gostei mesmo...está certíssimo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada pelo seu comentário, Iara. É muito bom receber esse tipo de retorno.

      Excluir

Postar um comentário

POSTS MAIS LIDOS

Psicologia Feminina: A Necessidade Neurótica de Amor

A Personalidade Neurótica de Nosso Tempo - Karen Horney

Éramos Seis, Irene Ravache, Moçambique e Angola

O Caminho dos Justos – Moshe Chaim Luzzatto

A SIMETRIA OCULTA DO AMOR - BERT HELLINGER

Daniela e os Invasores - Dinah Silveira de Queiroz

"Sei que muitas vezes eu mesmo fui um obstáculo no meu caminho, mas isso acabou"

Diamante banhado em sangue, a história do Estrela do Sul

Como acabei perdendo meu coração - Doris Lessing (Nobel de Literatura em 2007)