COMO SÃO POBRES OS RICOS DESTE PAÍS (DELÍRIO DE LAURA RESTREPO)

Como são pobres os ricos deste país!” é uma frase atribuída ao narcotraficante Pablo Escobar no livro Delírio da escritora colombiana Laura Restrepo. No contexto do livro, o traficante está se referindo a elite colombiana. Trata-se de um romance de ficção, que estava na meta de leitura para este ano (confira todos os livros que já foram lidos clicando aqui).

Um marido recebe uma ligação de um homem desconhecido para ir buscar sua esposa num quarto de hotel, porque ela está muito mal. Chegando lá, ele a encontra tendo um surto psicótico, do qual ela não consegue se recuperar. A vida deste homem para completamente para cuidar da esposa e ele busca desesperada investigar o que aconteceu para que a mulher ficasse naquele estado. E no meio dessa saga, muitas outras “loucuras” que foram normalmente aceitas, como o narcotráfico na alta sociedade colombiana, emergem. Sob a ótica do texto, é possível se questionar, quem é mais insano, uma mulher que está tendo um delírio, ou uma sociedade que monta suas aparências em cima do crime sujo. Talvez seja uma ótima leitura para quem curtiu a série Narcos. O estilo de narrativa foi fortemente influenciado pela obra do escritor português José Saramago (O blog já leu Ensaio sobre a Lucidez de Saramago, relembre clicando aqui). Inclusive existem referências a isto no próprio texto.

No começo, é uma narrativa pesada. Doença mental é um tema muito forte. Lembrou um pouco Ciranda de Pedra da escritora brasileira Lygia Fagundes Telles, cuja protagonista é esquizofrênica e isso destrói toda família (relembre aqui). Embora comece de uma forma mais pesada, Delírio é um livro que traz mais esperança. Ele narra toda a história de uma família, que já tinha um avô com um problema mental similar ao da protagonista. Isso lembrou a teoria dos sistemas familiares do psicólogo alemão Bert Hellinger (clique aqui, para saber mais). Mesmo sendo um livro de ficção, é possível que a autora tenha se baseado nos conceitos de psicologia para escrever a estória. Ao ler, tem-se a impressão que a personagem está realmente absorvendo a culpa do avô (que foi excluído da família) e manifestando-a no próprio corpo, por meio de sua doença mental. E que o avô fez a mesma coisa consigo mesmo por identificação com uma irmã que foi excluída da família. Então é um sistema familiar expirando uma “culpa” por várias gerações sem, de fato, resolvê-la. Isso pode ser entendido como karma dentro de algumas culturas. No livro, o marido (Aguilar) faz referência ao fato que tentou a psicologia Gestalt para tratar a mulher. Essa terapia também é alemã, o que dá mais força à ideia de que a autora conhecia a teoria dos sistemas familiares para escrever o livro, e foi criada pelo psicanalista Fritz Perls (para ler mais na Wiki, clique aqui).

A Colômbia é um país latino-americano que já produziu o Nobel de Literatura, Gabriel García Marquéz. Fica difícil comparar Laura Restrepo ao seu conterrâneo ilustre. Laura nasceu em Bogotá, em 1950. Ela se formou em Letras e Filosofia e fez pós-graduação em Ciências Políticas. Ela sempre trabalhou com jornalismo. Em 1983, ela foi nomeada para negociar a paz entre o governo de seu país e a guerrilha M-19. Ela fez uma reportagem sobre essa experiência e devido a isso começou a ser perseguida e receber ameaças de morte. Ela foi forçada a se exilar na Espanha e no México devido a esse fato, e só pode voltar ao seu país em 1989. Depois disso, ela viveu na Argentina, onde militou politicamente. Ela teve um filho fruto de um relacionamento por lá. Atualmente a escritora mora no México porque seu companheiro é deste país.

Hoje Laura Restrepo é reconhecida como uma das maiores escritoras latino-americanas da atualidade, seu romance Delírio ganhou o prêmio Alfaguara em 2004, um dos maiores da língua espanhola. Resumindo, não é um livro fácil, não é um livro leve, mas vale a pena ler Delírio num momento de reflexão na vida e a estória traz um olhar de esperança sobre as dificuldades a serem enfrentadas.

Muito obrigada por seguir e acompanhar nosso trabalho. Por favor, fique à vontade para deixar seu comentário, crítica ou sugestão.

Boa semana! Boas leituras!


Comentários

POSTS MAIS LIDOS

Psicologia Feminina: A Necessidade Neurótica de Amor

Éramos Seis, Irene Ravache, Moçambique e Angola

A Personalidade Neurótica de Nosso Tempo - Karen Horney

O Caminho dos Justos – Moshe Chaim Luzzatto

Daniela e os Invasores - Dinah Silveira de Queiroz

"Sei que muitas vezes eu mesmo fui um obstáculo no meu caminho, mas isso acabou"

Como acabei perdendo meu coração - Doris Lessing (Nobel de Literatura em 2007)

Brasilionários: os Poderosos Chefões do Brasil Moderno

Diamante banhado em sangue, a história do Estrela do Sul